Profissionalização. A nova era de call center

0
1

Se já foi sinônimo de telemarketing, hoje televendas é somente uma das funções: diferentes serviços de atendimento aos clientes (por telefone e internet), help desk, vendas via Internet, tarefas de suporte a diferentes áreas das empresas – marketing, recursos humanos, qualidade, etc – são somente algumas delas.


Certamente que, com a ampliação das atividades de call center, seu universo de profissionais ganhou tamanho e riqueza. Embora ainda seja vista por alguns como um “bico”, a profissionalização do ambiente de call center é um fato concreto. Cada vez mais, veremos profissionais altamente especializados abraçando uma carreira cheia de possibilidades dentro de um call center.


Tornar-se operador continua sendo uma porta aberta a quem ingressa no mercado de trabalho. Porém, trabalhar em call center também é uma oportunidade na vida de profissionais experientes, que têm a chance de agregar novas ferramentas de relacionamento aos seus conhecimentos e assim, “reinventar” sua profissão. É cada vez mais comum encontrarmos engenheiros que fazem help desk ou médicos que atendem clientes de laboratório clínico. E as possibilidades são infinitas.


O perfil do operador de telemarketing não é mais o mesmo: tanto pode ser um jovem estudante como um profissional com vasta bagagem. Mais homens ou mulheres, assume o perfil das diferentes categorias profissionais. E se a grande maioria dos operadores iniciantes ingressa no mercado ganhando o piso salarial da categoria (R$ 441,00), ele é, dependendo do caso, somente uma referência.


O fato é que, na medida em que suas atividades se ampliam e sofisticam, as empresas de call center investem cada vez mais em seu principal patrimônio: os funcionários. Os programas de treinamento estão cada vez mais complexos e, conseqüentemente, mais onerosos. Certamente que ninguém deseja perder estes investimentos.


Por tudo isso, estas empresas estão acenando com possibilidades reais de uma carreira plena. E, cada vez mais, profissionais talentosos, com formação nos mais diversos campos do conhecimento humano, encontram nas atividades de call center um amplo espaço para usar e desenvolver suas aptidões.


Diogo Morales é diretor e sócio da TMS Call Center, empresa com 5 anos de mercado que faz parte do Grupo TMS.